DECLARAÇÃO POR LEI: lanche “Bauru”, patrimônio imaterial do Brasil

Câmara Federal
Projeto de lei 7509/2014

Um dos sanduíches mais conhecidos do pais pode se tornar patrimônio cultural imaterial do Brasil. Para o deputado federal Ricardo Izar (PSD-SP), assim deve ser declarado o “Bauru”.

“Trata-se de um lanche tradicional e nacionalmente conhecido, de maneira que transformá-lo em patrimônio cultural é mais do que uma homenagem, mas sim o reconhecimento de sua notoriedade perante a população”, justifica o parlamentar.

Izar até aponta qual seria a receita de um “Bauru” legítimo: “aquele que consiste em um pão francês com rosbife, fatias de tomate, picles e queijo muçarela derretido, condimentado com orégano e sal”.

Ele também conta um pouco da história do sanduíche. “O ‘Bauru’ é um sanduíche brasileiro inventado por Casimiro Pinto Neto, apelidado “Bauru” em referência à sua cidade natal, no restaurante Ponto Chic, do
Largo do Paiçandu [na cidade de São Paulo], em 1934. O sanduíche logo se tornou popular e foi batizado com a alcunha de seu criador”.

A íntegra do projeto de lei 7509/2014 – apresentado em 7 de maio – está disponível no site da Câmara Federal.

Dê sua opinião sobre esta proposta no @leisemprojeto.

Anúncios

Deputado quer que oração seja patrimônio imaterial do RJ

Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro
Projeto de lei 1679/2012

O deputado estadual Samuel Malafaia (PSD-RJ) propõe, em projeto de lei, que a oração seja considerada patrimônio imaterial fluminense. Ele é irmão de Silas Malafaia, líder da “Associação Vitória em Cristo”.

Na justificativa, ele apresenta o significado de oração, “elevação da alma a Deus”, e que “as pessoas, ao orarem, percebem suas maiores necessidades, além de desenvolverem forças espirituais que garantem vitória nas aflições da vida”.

Mas não explica a razão por que ela deve ser patrimônio imaterial do estado, que aparece apenas na seguinte frase. “Se faz necessário considerar esta importante forma de expressão como patrimônio imaterial do Rio de Janeiro”.

A íntegra do projeto de lei 1679/2012 – apresentado em 1° de agosto está disponível no site da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.